Sabiá Laranjeira / Bird symbol of Brazil ( Turdus rufiventris ) ©Germano Schüür

Not selected for Google Earth or Google Maps after a second review [?]

Comments (6)

Emerson R. Zamprogno on November 18, 2008

olha só!

Germano Schüür on November 18, 2008

O sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris), também conhecido como sabiá amarelo ou de peito roxo, tornou-se em 2002 a ave-símbolo do Brasil por sua imensa popularidade no país, citada por diversos poetas como o pássaro que canta na estação do amor ou seja, primavera. Mede aproximadamente 25 centímetros, tendo plumagem vermelho-ferrugem no ventre, levemente alaranjado, sendo o restante do corpo de cor parda, com bico amarelo-escuro.

É ave de canto muito apreciado, que se assemelha ao som de uma flauta. Canta principalmente ao alvorecer e à tarde. O canto serve para demarcar território e, no caso dos machos, para atrair a fêmea.

Não há dimorfismo sexual, pois, ambos são iguais e a fêmea também canta, mas numa frequência bem menor que o macho.

O canto do Sabiá é parcialmente aprendido, havendo linhagens geográficas de tipos de canto, e se a ave conviver desde pequena com outras espécies, pode ser influenciada pelo canto delas e passar a ter um canto "impuro".

Na natureza, é encontrado em casais e grupos familiares quando em proceso de criação.É ave de ambientes abertos, preferindo viver em bordas de matas, pomares, capoeiras, entorno de estradas, praças e quintais, sempre por perto de água abundante. É um pássaro territorial: demarca uma área geográfica quando está em processo de reprodução e não aceita a presença de outras aves da espécie. O sabiá-laranjeira vive em torno de 30 anos.

Sua nutrição se compõe basicamente de insetos, larvas, minhocas, e frutas maduras, incluindo frutas cultivadas como o mamão,a Laranja e Abacate. É uma ave que convive bem com ambientes modificados pelo homem, seja no campo ou na cidade, desde que tenha oportunidades de encontrar abrigo e alimento. Pode inclusive fazer seu ninho - uma tigela profunda de argila e folhas secas - em beirais de telhados.

Fonte: Wikipedia

Germano Schüür on November 18, 2008

The Rufous-bellied Thrush (Turdus rufiventris) is a songbird of the thrush family (Turdidae). It occurs in most of east and southeast Brazil from Maranhão south to Rio Grande do Sul states, Bolivia, Paraguay, Uruguay and northern regions of Argentina.

It is one of the most common birds across much of southeastern Brazil, and is well-known there under its local name sabiá-laranjeira. It was proposed as the national bird of Brazil, and was officially chosen in 2002.

This species is named after its distinctive reddish-orange underparts. Rufous-bellied Thrushes can reach a length of 25 cm and weigh up to 68 g (male) or 78 g (female), though weights of about 59 g for males and 64 g for females are more usual. Contrary to what one might expect from the rather marked weight difference, the females are not larger, only plumper; their tarsus is actually a bit shorter than that of males on average.

Found in forests and urban wooded areas, it is an omnivorous bird. Its food consists mainly of fruits and arthropods, and it can sometimes be seen attending mixed-species feeding flocks and moving through the bushes with many other birds. It has been observed to squabble with a Common Marmoset (Callithrix jacchus) in the undergrowth over food flushed by an army ant column, but this was during the dry season when fruits are scarce.

It builds an open-cup nest, sometimes right on the forest floor, sometimes more than 20 meters high in a tree, but usually 4-5 meters above ground. In the yungas of NW Argentina, nesting occurred in the wet season from October to March, with most birds breeding in November-December. The three, sometimes two eggs measure about 27-28 by 20 mm, and weigh c.5.7-5.9 grams each. They are incubated for about 12-13 days, and young take about that long again untlil they fledge. Incubation is solely by the female, which spends considerable time on the nest. The nestlings are attended by both parents however; as the young near fledging, they are fed every 5-7 minutes or so on average. Predation may be a major cause of brood failure; in the Southern Andean yungas it was noted to be especially high during the nestling time and far less significant during incubation (Wikipedia).

Tiago Benedetti on November 19, 2008

Olá Germano! Que bom que você deu essa dica a respeito da participação no Panoramio. É realmente enriquecedor estar por aqui partilhando fotos, além de ter acesso ao teu belo trabalho.

Parabéns pelas fotos!

PatyPeceguiniViana on June 19, 2009

Belíssima sequência de fotos, Germano. Fiquei encantada com a nitidez e perfeição das cenas. Saudações. Patricia

Germano Schüür on October 21, 2009

“A beleza e a genealidade de uma obra de arte podem ser reconcebidas, uma harmonia desaparecida pode ainda inspirar o seu compositor, mas quando o último indivíduo de uma espécie de ser vivo soltar seu último suspiro, outro céu e outra terra precisarão passar onde tal indivíduo possa existir de novo.”

William Beebe (ornitólogo, fotógrafo e colaborador da National Geographic / 1877 – 1962)

Sign up to comment. Sign in if you already did it.

Germano Schüür
Caxias do Sul \u002D Rio Grande do Sul, República Federativa do Brasil

Photo taken in Petrópolis, Caxias do Sul - Rio Grande do Sul, Brazil

Photo details

  • Uploaded on November 17, 2008
  • © All Rights Reserved
    by Germano Schüür

Groups