Falkland Islands - Casa do Governador ©Germano Schüür

Selected for Google Maps and Google Earth

As Ilhas Malvinas (em inglês Falkland Islands) são uma colônia britânica no Atlântico Sul, constituída por duas ilhas principais e um número elevado de ilhas menores, situadas ao largo da costa da Argentina, mais ou menos à latitude de Río Gallegos. Capital: Port Stanley. O nome "Falklands" foi dado por John Strong em 1690, em homenagem ao Visconde de Falkand, que era uma cidade na Escócia, enquanto o nome "Malvinas" deriva do nome francês Îles Malouines, dado em 1764 por Louis Antoine de Bougainville em referência à cidade francesa de Saint-Malo.

Chamados de kelpers, os habitantes das ilhas confirmaram repetidamente sua predileção pela cidadania britânica. Mesmo assim, o arquipélago foi invadido em 1982 pela Argentina, que alega ter soberania sobre as mesmas, deflagrando o conflito conhecido como Guerra das Malvinas.

História

Acredita-se que o marinheiro neerlandês Sebald de Weert primeiro tenha avistado as ilhas Malvinas em 1600, porém Britânicos e espanhóis defendem que seus próprios exploradores tenham descoberto a ilha. Alguns mapas mais antigos, especificamente os neerlandeses, usam o nome de “ilhas de Sebald”. A história da exploração segue abaixo:

1504: Américo Vespúcio (Florença) 1540: Ferdinando Camargo (Espanha) 1592: John Davis (Inglaterra) 1593: Richard Hawkins (Inglaterra) 1600: Sebald de Weert (Países Baixos) 1684: Cowley & Dampier (Inglaterra) descobrem Pepys Island, rebatizada Geórgia do Sul por James Cook en 1775. 1690: John Strong (Inglaterra) 1701: Gouin de Beauchesne (França) 1708: Roger Woodes (Grã-Bretanha) 1740: George Anson (Grã-Bretanha)

No século XVIII, em 1764, Louis Antoine de Bougainville fundou uma base naval em Port Louis (Malvinas Oriental). O francês chamou-a de Îles Malouines. Ignorando a presença francesa na ilha, em 1765, John Byron (Britânico) estabeleceu uma base em Egmont (Malvina Ocidental). Em 1766 a França vendeu sua base para a Espanha, que declara guerra à presença inglesa nas ilhas, mas a disputa se acalmou no ano seguinte, decidindo-se que a parte oriental seria controlada pela Espanha e a parte Ocidental pelos Britânicos.

A ilha permaneceu praticamente instável até o século XIX. A Argentina montou uma colônia penal nas ilhas em 1820, e em 1829 nomeou Luis Vernet governador da ilha para colonizá-la. O Reino Unido invadiu as ilhas em 1833, mas a Argentina manteve sua reivindicação. Essas tensões levaram a uma invasão Argentina em 1982. O conflito ficou conhecido como a Guerra das Malvinas. Mais tarde as ilhas foram retomadas pelos britânicos.

Política

A autoridade executiva vem da Rainha e é exercida pelo governador. A defesa é responsabilidade do Reino Unido. Há uma constituição que foi posta em prática em 1985. A perda da guerra contra a Inglaterra pela posse das ilhas levou ao colapso da ditadura militar Argentina em 1983. Porém, a disputa pelo controle das ilhas ainda continua.

Em 2001, o primeiro-ministro britânico Tony Blair foi o primeiro a visitar a Argentina desde a guerra. No 22º aniversário da guerra, o Presidente Néstor Kirchner da Argentina em seu pronunciamento insistiu que as ilhas seriam parte do território argentino. Kirchner fez das ilhas uma de suas prioridades em 2003, e em junho desse mesmo ano o assunto foi levado para o comitê das Nações Unidas. Os moradores das ilhas Malvinas são em sua maioria britânicos, e desejam manter a submissão ao Reino Unido.

Geografia

Compreende-se duas ilhas principais e aproximadamente outras 700 ilhas menores, sendo que todas somam uma área total é de 12,173 km².

Clima e vegetação

As temperaturas baixas comuns nas altas latitudes contribuem com um frio clima temperado marítimo. A temperatura média varia dos 8°C no mês de janeiro aos 2°C no mês de julho. Apesar de escassa, a neve pode ocorrer em qualquer época do ano, mas não se acumula sobre a superfície. Geralmente chove em mais da metade dos dias do ano e os ventos fortes são comuns.

Com um clima naturalmente agravado com as intempéries próprias nessas latitudes (51 e 52 sul), o vento e frio o ecossistema nas duas maiores ilhas a Malvinas Oriental (Soledade) e Malvinas Ocidental (Grande Malvina) encontra-se comprometido pela ação do homem. A vegetação nativa nessas ilhas foi substituída para servir de pasto ao gado e a criação de ovelhas reais (um dos ícones da bandeira colonial inglesa) e devido à ausência de uma vigilância sanitária autônoma (de esquerda) para tratar com esse tipo de interferência, o praial de todas as ilhas encontram-se também totalmente tomados por pequenos roedores.

Economia

As maiores indústrias estão relacionadas com a pesca e a agricultura. Existe também relevantes criações de ovelhas e extração de petróleo e gás natural

Demografia

Os habitantes denominam-se “ilhéus”, os estrangeiros chamam-nos freqüentemente de “kelpers”. A palavra kelper é mais usada na Argentina com o significado de cidadãos de segunda-classe em referência à situação dos ilhéus antes de serem considerados cidadãos britânicos pelo Ato de Nacionalidade de 1983.

Na foto a residência do Governador do arquipélago.

Fonte: Wikipedia

Show more
Show less
Save Cancel Want to use bold, italic, links?

Comments (5)

Germano Schüür on January 31, 2007

As Ilhas Malvinas (em inglês Falkland Islands) são uma colônia britânica no Atlântico Sul, constituída por duas ilhas principais e um número elevado de ilhas menores, situadas ao largo da costa da Argentina, mais ou menos à latitude de Río Gallegos. Capital: Port Stanley. O nome "Falklands" foi dado por John Strong em 1690, em homenagem ao Visconde de Falkand, que era uma cidade na Escócia, enquanto o nome "Malvinas" deriva do nome francês Îles Malouines, dado em 1764 por Louis Antoine de Bougainville em referência à cidade francesa de Saint-Malo.

Chamados de kelpers, os habitantes das ilhas confirmaram repetidamente sua predileção pela cidadania britânica. Mesmo assim, o arquipélago foi invadido em 1982 pela Argentina, que alega ter soberania sobre as mesmas, deflagrando o conflito conhecido como Guerra das Malvinas.

História

Acredita-se que o marinheiro neerlandês Sebald de Weert primeiro tenha avistado as ilhas Malvinas em 1600, porém Britânicos e espanhóis defendem que seus próprios exploradores tenham descoberto a ilha. Alguns mapas mais antigos, especificamente os neerlandeses, usam o nome de “ilhas de Sebald”. A história da exploração segue abaixo:

1504: Américo Vespúcio (Florença) 1540: Ferdinando Camargo (Espanha) 1592: John Davis (Inglaterra) 1593: Richard Hawkins (Inglaterra) 1600: Sebald de Weert (Países Baixos) 1684: Cowley & Dampier (Inglaterra) descobrem Pepys Island, rebatizada Geórgia do Sul por James Cook en 1775. 1690: John Strong (Inglaterra) 1701: Gouin de Beauchesne (França) 1708: Roger Woodes (Grã-Bretanha) 1740: George Anson (Grã-Bretanha)

No século XVIII, em 1764, Louis Antoine de Bougainville fundou uma base naval em Port Louis (Malvinas Oriental). O francês chamou-a de Îles Malouines. Ignorando a presença francesa na ilha, em 1765, John Byron (Britânico) estabeleceu uma base em Egmont (Malvina Ocidental). Em 1766 a França vendeu sua base para a Espanha, que declara guerra à presença inglesa nas ilhas, mas a disputa se acalmou no ano seguinte, decidindo-se que a parte oriental seria controlada pela Espanha e a parte Ocidental pelos Britânicos.

A ilha permaneceu praticamente instável até o século XIX. A Argentina montou uma colônia penal nas ilhas em 1820, e em 1829 nomeou Luis Vernet governador da ilha para colonizá-la. O Reino Unido invadiu as ilhas em 1833, mas a Argentina manteve sua reivindicação. Essas tensões levaram a uma invasão Argentina em 1982. O conflito ficou conhecido como a Guerra das Malvinas. Mais tarde as ilhas foram retomadas pelos britânicos.

Política

A autoridade executiva vem da Rainha e é exercida pelo governador. A defesa é responsabilidade do Reino Unido. Há uma constituição que foi posta em prática em 1985. A perda da guerra contra a Inglaterra pela posse das ilhas levou ao colapso da ditadura militar Argentina em 1983. Porém, a disputa pelo controle das ilhas ainda continua.

Em 2001, o primeiro-ministro britânico Tony Blair foi o primeiro a visitar a Argentina desde a guerra. No 22º aniversário da guerra, o Presidente Néstor Kirchner da Argentina em seu pronunciamento insistiu que as ilhas seriam parte do território argentino. Kirchner fez das ilhas uma de suas prioridades em 2003, e em junho desse mesmo ano o assunto foi levado para o comitê das Nações Unidas. Os moradores das ilhas Malvinas são em sua maioria britânicos, e desejam manter a submissão ao Reino Unido.

Geografia

Compreende-se duas ilhas principais e aproximadamente outras 700 ilhas menores, sendo que todas somam uma área total é de 12,173 km².

Clima e vegetação

As temperaturas baixas comuns nas altas latitudes contribuem com um frio clima temperado marítimo. A temperatura média varia dos 8°C no mês de janeiro aos 2°C no mês de julho. Apesar de escassa, a neve pode ocorrer em qualquer época do ano, mas não se acumula sobre a superfície. Geralmente chove em mais da metade dos dias do ano e os ventos fortes são comuns.

Com um clima naturalmente agravado com as intempéries próprias nessas latitudes (51 e 52 sul), o vento e frio o ecossistema nas duas maiores ilhas a Malvinas Oriental (Soledade) e Malvinas Ocidental (Grande Malvina) encontra-se comprometido pela ação do homem. A vegetação nativa nessas ilhas foi substituída para servir de pasto ao gado e a criação de ovelhas reais (um dos ícones da bandeira colonial inglesa) e devido à ausência de uma vigilância sanitária autônoma (de esquerda) para tratar com esse tipo de interferência, o praial de todas as ilhas encontram-se também totalmente tomados por pequenos roedores.

Economia

As maiores indústrias estão relacionadas com a pesca e a agricultura. Existe também relevantes criações de ovelhas e extração de petróleo e gás natural

Demografia

Os habitantes denominam-se “ilhéus”, os estrangeiros chamam-nos freqüentemente de “kelpers”. A palavra kelper é mais usada na Argentina com o significado de cidadãos de segunda-classe em referência à situação dos ilhéus antes de serem considerados cidadãos britânicos pelo Ato de Nacionalidade de 1983.

Na foto a residência do Governador do arquipélago.

Fonte: Wikipedia

Rubens Craveiro on November 23, 2009

Meu amigo Germano:

Bela fotografia da Casa do Governador Britânico nas Ilhas Malvinas (Falkland Islands). A foto emoldurada pelas copas das árvores à esquerda, as casas inglesas de cor branca com telhados azuis, o jardim florido em torno do campo gramado, o céu azul sem nuvens, compõem uma modorrenta paisagem que em nada combina com a agitação vivida nos idos de 1982 (A guerra não iniciou a 15 de março, mas findou bem próxima de 15 de junho). Felizmente a paz e a serenidade voltaram a reinar na região. Parabéns por esta fotografia que, de certo modo, é um apelo à concórdia e ao entendimento entre os povos. Com um abraço Rubens The Best of Panoramio

Germano Schüür on December 8, 2009

Foto feita em 06 de fevereiro de 2006.

mackedwars on February 26, 2010

SR. Germano Schüür, es muy de agradecer las explicaciones correctas e imparciales que acompaña a sus fotografias. A fin de poder contemplarlas con tranquilidad, porque en esto de Panoramio de un colega se pasa a otro y a lo mejor nos olvidamos del que estábamos viendo al principio, me permito fijar sus fotos como fovorites photographers. Reciba un cordial saludo de Eduardo.

mackedwars on September 7, 2010

La guerra de las Malvinas en 1982, iniciada mediante la invasión de las tropas argentinas y retomada posteriormente mediante el envio de un cuerpo expedicionario británico, tuvo la virtud ( si las guerras tienen virtudes, que no lo creo ), de poner al descubiertos las graves corruptelas de los dictadores militares argentinos, de modo que un conflicto que desataron para lograr la adhesión interna de la ciudadania en Argentina se volvió contra los militares golpistas y precipitó su caida. Los soldados argentinos en Malvinas pasaron hambre hasta que fueron hechos prisioneros por los británicos. Los varios miles de muertos producidos por este conflicto armado no se justifican de ningun modo y han de ser cargados en la cuenta del militarismo de la dictadura argentina y del imperialismo de Margaret Tatcher. La política colonial británica a lo largo de siglos no se justifica por muchos errores que hayan cometido gobernantes de otros paises. Cordiales saludos de Eduardo.

Sign up to comment. Sign in if you already did it.

Germano Schüür
Caxias do Sul \u002D Rio Grande do Sul, República Federativa do Brasil

Photo details

  • Uploaded on January 25, 2007
  • © All Rights Reserved
    by Germano Schüür

Groups