LUÍS A. D. LIBERAL
photos
on Google Maps
views
>NOME COMPLETO: Luís Aníbal Dias Liberal > NATURALIDADE: Macedo de Cavaleiros > DISTRITO: Bragança > PAÍS: PORTUGAL > RESIDÊNCIA: Mirandela > PROFISSÃO: Engº Técº Agrário > PASSATEMPOS: Radioamadorismo, Internet, Fotografia, Viagens e Pesca desportiva > CONTACTO: liberal.luis@sapo.pt

LUÍS A. D. LIBERAL's conversations

A casa já não existe. Foi destruída para no local implantar um prédio em propriedade horizontal. Pertencia ao Sr. Américo Lopes, grande amigo do meu saudoso pai. Passavam a maior parte do dia juntos no armazém do meu pai. Era agente de todos os Bancos que na altura existiam. Nessa época na vila não havia agências bancárias. Aparava as unhas das mãos roçando-as na ombreira de uma das portas, em granito, do dito armazém. No Inverno e quando os dias já estavam um pouco mais quentes, vinha como de costuma para junto do meu pai, sentava-se, à entrada da porta por onde entrava o sol, numa cadeira, e colocava-se de modo a ficar com a cabeça à sombra e os pés ao sol e muitas vezes dizia: aquecei filhos da p..a que ainda não aquecestes durante todo o Inverno. Tinha duas filhas. Com 6 ou 7 anos fui indelicado para com elas que já eram umas senhoras e a mãe (D. Alcina) fez queixa à minha avó paterna que a transmitiu à minha mãe. Resultado: umas valentes chineladas no traseiro, pimenta na língua, um banho e vestinho a preceito tive que ir pedir desculpas (perdão). A casa ficava do outro lado da rua em frente à dos meus pais. Fui muito bem recebido e desculpado. Fui presenteado com o lanche e estive durante algum tempo à janelas com elas. Era um republicano convicto. Assinava o jornal oposicionista A República, que recebia com um dia de atraso. Lia-o e assinalava determinados artigos que me dava a ler quando regressava das aulas. Aprendi muito com o sr. Américo.

Em primeiro plano pode ver-se uma figura carismática da cidade, o Senhor Cachimbo.

A Ponte de Remondes, sobre o Rio Sabor, liga o concelho de Macedo de Cavaleiros ao concelho de Mogadouro. Foi construída em 1678 pela família dos Távoras. Vai, em breve, ficar submersa pela albufeira da barragem do baixo Sabor, sendo substituída por uma ponte moderna de betão com cerca de 290 metros de comprimento e localizada a cerca de 600 metros a montante desta.

A Ponte de Remondes, sobre o Rio Sabor, liga o concelho de Macedo de Cavaleiros ao concelho de Mogadouro. Foi construída em 1678 pela família dos Távoras. Vai, em breve, ficar submersa pela albufeira da barragem do baixo Sabor, sendo substituída por uma ponte moderna de betão com cerca de 290 metros de comprimento e localizada a cerca de 600 metros a montante desta.

Igreja de Santa Maria, mesmo em frente à casa onde vivi até aos 17 anos.

FonTe do Gricho. Antes de existir água canalizada na aldeia, era aqui que as pessoas se abasteciam de água para beber e cozinhar.

Rua do Forno. Os portões verdes dão acesso à casa onde a minha mãe( Delfina dos Anjos ) nasceu no dia 23 de Março de 1925 e viveu até ao dia do casamento com o meu pai ( Armindo Lopes ). Agora propriedade da minha tia Libania.

Largo da Ervideira, existia aqui uma capela que foi derrubada no ano de 1972, para alargar a rua. Agora é lugar de romaria no dia 14 de Agosto para a internacionalmente conhecida e famosa sardinhada.

A Igreja é dedicada a S. Nicolau. As estátuas esculpidas em granito que se encontram na frontaria são de S. Francisco de Assis à esquerda, S. Nicolau ao centro e de Sta. Bárbara à direita.

Recordo-me muito bem deste aspecto da Rua do Trinta. Nestas últimas casas morava a familia "Bagueixe". Ao fundo deste quarteirão no cruzamento da rua que dava para o quintal do Dr. Olaio morava a Sra. Eduarda Barradas que vendia, à unidade, fruta num tabuleiro que transportava à cabeça pelas ruas da vila. Na mesma casa vivia a sua filha, D. Otelinda casada com o Sr Barroso, viajante de uma casa de ferragens do Porto, que mantinha uma grande amizade com o meu saudoso pai e a sua mãe que era a pessoa mais velha da vila e com uma idade que ultrapassava em muito os 100 anos. A seguir a esta casa morava o Sr. Fernando Granjo pai do Zé Granjo meu companheiro de escola, fomos às "sortes" no mesmo ano e com quem mantenho uma relação de amizade apesar de nos vermos com pouca frequência. Do outro lado da rua e começando junto ao cemitério morava a família Soares. Ele era sapateiro e ela fazia trabalhos de parteira. Eram pais ou avós do Soares (Zarizeiro) que foi carteiro, figura tipica da Vila e grande tocador de realejo. Mais em cima morava a família Procópio pais do António e do Zé que foram taxistas na praça de Macedo. Também moravam deste lado da rua duas prostitutas famosas, a Ana Evarista e o Plão.

« Previous12345678...4950Next »

Tags

Friends

  • loading Loading…

 

LUÍS A. D. LIBERAL's groups